segunda-feira, 4 de maio de 2015

Em seu tempo

COBRANÇAS IMPLICAM NO CUMPRIMENTO DE MAIS AÇÕES
A série de protestos e revindicações proveniente dos segmentos organizados e ainda de parte da população dão vazão a outras demandas que muitas as vezes passam por despercebidas.
Exigir melhor salário para o funcionalismo é um prélio e acima de tudo uma obrigação cumprir pelo menos aquilo que é de direito.
O município de Baraúna passa por uma onda de insatisfação generalizada fruto da instabilidade e o do imbróglio jurídico que se arrasta desde o ano passado. Contudo, vários fatores contribuem para o emperramento da máquina e o desajuste da gestão municipal. São programas que deixaram de ser selados, falta da prestação de contas do entra e sai de prefeitos e ainda o acumulo de problemas oriundos da situação que eleva o pessimismo e má fé com o gestor.
As costuras para se garantir a governabilidade é cara, o poder vislumbra a ostentação e atrai inquilinos que só pensam em sua maioria  se darem bem... E o município vive o dilema do desprezo e da falta de satisfação do povo.
Não tem sido fácil aceitar esse quadro e ainda pior,  ter que conviver com ele, queira ou não.
O lixo que impera nas ruas, o mato que toma conta do logradouros, os canteiros feios e sujos, as praças com aspecto do abandono, pavimentação revirada e ruas cheias de entulhos pela falta da operacionalização  da máquina. É um Deus nos cauda em nossa capenga infraestrutura.
Sem contar que as escolas também atravessam o descaso, a merenda escolar que é fraca e não ha Conselho da Merenda que poossa cobrar efetivamente. A Educação carece de capacitação, discussão ampla para o envolvimento maior do aluno e vale lembrar que esse ano é o tempo que se tem para o  indice avaliativo do FUNDEB, será que não vamos definhar?
A saúde nem se fala, por mais que achem que manter um médico de plantão, ajuda, mas não é tudo. Muita gente que sofre a espera de realizar exames importantes, que  precisam de medicamentos e não conseguem sanar o alivio de sua doença. Baraúna tem um alto indice de casos de cancer e a prefeitura pouco faz para o alerta e maior atenção a esssas humlides pessoas.
A cidade vive em polvorosa com a onda de insegurança e na zona rural não e diferente. Crimes sem solução, droga que domina e assaltos na luz do dia como fossemos uma metrópole...
Desse resultado vale lembrar que a concesssão de beneficos aos servidores devem ser atrelada ao bem coletivo tambem. Precisamos de maior empenho dos agentes de saúde e endemias que mal sabemos seus passos. A vigilancia sanitária que não fiscaliza a seboseira do Mercado a imundice do abatedouro e o desprezo do local do Peixe. Uma vergonha à todos!
Dependemos de autoestima para os professores ensinarem com afinco e amor, que os alunos sejam motivados com atividades de lazer e cultura,  e assim atentar para a boa educação. 
Por tudo, acredito que ainda ha tempo de fazer alguma coisa. Tudo é uma questão de prioridade e vontade politica, quando a gente quer a gente pode. 

Nenhum comentário:

Últimas postagens

 

Follow by Email